Bem-vindos ao seu fã-site oficial da modelo Gigi Hadid no Brasil
Instagram Twitter Youtube

As homenageadas do sexto Almoço Anual da Variety, oferecido pela Lifetime, compartilharam histórias profundamente pessoais que eram variações de um tema poderoso: Mulheres superando obstáculos, dúvidas e pessimistas para corrigir erros, conscientizar e testemunhar injustiças.  A editora-chefe de Variety, Claudia Eller, saudou os homenageados por possuírem a “marca especial de destemor, franqueza e tenacidade para fazer um monte de barulho sobre as questões urgentes do nosso tempo”.

A influência do movimento #MeToo e do ativismo de igualdade de gênero dos últimos anos esteve sempre presente nas observações do palco. Três mulheres que participaram do documentário “Surviving R. Kelly” da Lifetime, que reacenderam a acusação criminal do cantor de R&B acusado de má conduta sexual com garotas menores de idade, tiveram um momento no microfone para explicar a importância da mídia em expor a transgressão.

Sendo introduzida pelo seu amigo e também apresentador Jimmy Fallon, Gigi Hadid estava entre as mulheres que estavam sendo homenageadas por seu envolvimento filantrópico juntamente com a UNICEF.  A supermodelo internacional de 23 anos, que liderou campanhas para marcas como Marc Jacobs, Prada e Chanel, causou, nos últimos dois anos, por seu trabalho filantrópico como embaixadora da UNICEF.

A modelo passou a discutir o poder das mídias sociais, uma ferramenta que ela utilizou quando viajou para Bangladesh, onde visitou um campo de refugiados que abrigava o povo Rohingya, o grupo étnico majoritariamente muçulmano que fugia de Mianmar “Mesmo com suas vidas no limbo, essas mulheres e meninas tinham o desejo de fazer mais, de ser mais e de se educar para melhorar suas vidas”, disse ela em seu discurso“Quando perguntamos a eles como a UNICEF poderia ajudar de maneiras diferentes e, o mais importante, o que eles queriam que falássemos ao mundo sobre eles, o que realmente significava era que eles querem uma identidade.”

“No final da viagem, fui para casa, e eles ainda estavam lá”, disse Hadid, totalmente emocionada.

“Sim, podemos doar. Sim, podemos ajudá-los, e cada doação realmente salva vidas e ajuda pessoas. Eu vi”, ela acrescentou. “Mas não é isso que eles queriam que disséssemos ao mundo. Eles são seres humanos como todos nós. O que eles fariam por uma cidadania, por uma identidade, ser capaz de rolar e digitar e ter uma voz nesse sentido”. A modelo enfatizou o significado do ” dom da identidade”. “Nós podemos ficar tão presos em nossas próprias cabeças, e nossos próprios mundos podem parecer muito opressivos às vezes, mas a maioria de nós tem o verdadeiro dom da identidade, e o poder de nos expressar, o poder de falar por aqueles que não podem por e o poder de elevar um ao outro ”.

“Sinto ressentimento em relação às mídias sociais, às vezes, mas ao documentar minha viagem com a UNICEF, entendi o verdadeiro valor – alguém está ouvindo”, disse ela. “Seja uma voz para alguém, apoie alguém, encoraje alguém, conte a alguém como ele o inspira. Não podemos deixar que os comentários negativos, a energia ruim e as falsas suposições nos impedem de fazer o bem que sabemos que podemos fazer com nossas plataformas”.

Em seu discurso, Hadid agradeceu às mulheres em sua vida que abriram o caminho para ela, incluindo sua mãe e avó. “Elas são balizas de independência e integridade em nossa família, e não posso explicar que coisa incrível é essa. ter mulheres como elas para admirar”, disse ela.  Ela também acenou com a cabeça para suas irmãs, Bella Hadid, Marielle Hadid e Alana Hadid,  as “irmãs escolhidas”, que estavam presentes no almoço. “Obrigado por seu amor e apoio todos os dias da minha vida”, disse ela, dizendo a Bella para não chorar enquanto segurava suas próprias lágrimas. “Você é talentosa, você é trabalhadora, você é criativa, bondosa, leal, honesta, e você é o mesmo sem pedir desculpas, e todos vocês me inspiram de suas próprias maneiras”.

Antes de subir ao palco naquele dia Gigi Hadid posou no red carpet usando um macacão azul da coleção primavera/verão da estilista britânica Emilia Wickstead, nascida na Nova Zelândia combinando com um salto alto de pele de cobra azul, juntamente com suas três irmãs e outras convidadas do almoço.