Bem-vindos ao seu fã-site oficial da modelo Gigi Hadid no Brasil
Instagram Twitter Youtube

Em outubro do ano passado vimos Gigi Hadid postando uma foto de si mesma no Instagram tirada por Xclusive-Lee, e em janeiro, o fotógrafo processou a supermodelo alegando violação de direitos autorais e uso de uma imagem sem licenciamento. A foto do Instagram foi removida imediatamente, mas o fotógrafo paparazzi continuou a investigar legalmente o caso. Hadid até mesmo postou um texto em sua Rede Social como um desabafo reclamando da falta de privacidade e invasão dos paparazzi:

Ontem, ouvi dos meus agentes que estou sendo ‘processada legalmente’ por minha última postagem no Instagram (agora deletada). A foto é de um paparazzi e é de mim na rua fora de um evento na semana passada. Eu posei e sorri para a foto porque eu entendo que isso é parte do meu trabalho, essa foi uma situação adequada para ‘a imprensa’ participar, e também que é assim que os paparazzi ganham a vida. Mas a maioria das circunstâncias não é assim, ou seja, sair do meu apartamento, ou a qualquer hora que eu sinto que minha privacidade está sendo violada sem motivos, por fazer coisas cotidianas, parece [uma situação] mais difícil de enfrentar. Eu entendo se eles sabem que alguém está indo para um evento, ou mesmo que parem por vezes para ver se alguém vai sair de casa naquele dia, mas essas pessoas ganham dinheiro conosco todos os dias LEGALMENTE, perseguindo-nos dia após dia – por nada em especial – apenas para nos fotografar andando para um carro ou entrando em um edifício de trabalho. Eles dirigem perigosamente perto e extremamente imprudentes; eles colocam o público em geral em perigo em busca de uma foto (eu e muitas pessoas que eu conheço já tivemos acidentes em táxis/carros alugados por causa de paparazzi) e parece que eles nunca estão satisfeitos. 

Tudo isso para dizer que não é falado o suficiente sobre o preço mental/emocional que esse tipo de pressão tem sobre os dias das pessoas, eu (e inúmeros outros) já deixamos de sair porque eu apenas não quero que minha foto seja tirada, nem ter esse tipo de atenção/sufocamento enquanto só tentamos viver o mais normal possível. E para alguém aproveitar de uma situação em que eu estava tentando ser acessível, e me processar por uma foto que eu encontrei no Twitter (sem nenhum nome de fotógrafo na imagem), por uma foto que ele já foi pago por qualquer empresa que a publicou online (!!!), isso é um absurdo. Eu não tinha como saber qual dos 15+ fotógrafos daquele dia tiraram essas fotos exatas, se a pessoa tivesse apenas comentado na minha foto, eu teria ficado feliz em marcar e dar crédito. Estas são as mesmas pessoas que estão fazendo isso com muitos que você ama e segue, muitas pessoas que eu conheço, e a parte mais triste, fazendo isso com contas de fãs incrivelmente dedicadas e amorosas em todo o mundo“.

Em 18 de julho, o processo judicial foi julgado improcedente. A juíza distrital norte-americana encarregada do caso, Pamela Chen, descobriu que o Xclusive não conseguiu obter o registro de direitos autorais da imagem antes de entrar com a ação, o que é uma exigência da Suprema Corte dos EUA. Além disso, o Xclusive foi recusado o direito de refilar a reivindicação, mesmo se os direitos autorais forem registrados no futuro.

De acordo com o The Hollywood Reporter , o advogado de Gigi Hadid, John Quinn, divulgou a seguinte declaração: “Estamos satisfeitos que a Corte tenha concedido nossa moção para rejeitar este caso sem mérito. A decisão do tribunal reconheceu esse caso pelo que foi – um esforço para extrair um acordo de Hadid com pouca consideração pelos requisitos básicos da lei de direitos autorais”.