Bem-vindos ao seu fã-site oficial da modelo Gigi Hadid no Brasil
Instagram Twitter Youtube

Com um vestido a mão de seda azul claro da Maison Margiela, luvas de couro verde com um chapéu de folhas frescas Gigi Hadid estampa a edição ‘Ícones e Ídolos’ da i-D Magazine! A modelo usando somente a grife Maison Margiela posou para lentes do fotógrafo Jamie Hawkesworth em um fundo cinza neutro. Além de um editorial lindíssimo e angelical Hadid concedeu uma entrevista feita direto de sua fazenda sobre imagem corporal, solidão e felicidade. Confira a entrevista completa e traduzida: 

Quando chegamos à supermodelo e notável membro da família Hadid, Gigi, ela está em sua fazenda se recuperando da beleza que derrete o cérebro e do luxo avassalador dos desfiles de alta costura. Desde sua estréia na passarela, há pouco mais de cinco anos, a beleza de Gigi e, igualmente importante, sua gentileza, marcaram-na como um tipo diferente de modelo. Ela é amada na indústria da moda e fora dela, tanto por seu trabalho na frente das câmeras quanto por sua campanha na UNICEF, com quem viajou para Bangladesh e Senegal.

Mas o que Gigi faz quando não está sendo fotografada pela i-D por Jamie Hawkesworth? Ou seguida pelas lentes de longa distância dos paparazzi? “Um quebra-cabeça”, diz ela. Conversamos com Gigi por telefone, em seu retiro no país, para deixá-la relembrar como ela conquistou os fashionistas e o mundo.

Oi Gigi! Onde você está?
Estou na fazenda, chegando o mais perto possível da lareira.

Como foi sua sessão de fotos para i-D? Que humor você queria transmitir?
Bem, primeiro de tudo, eu amo Olivier. Eu acho que ele pode ver muito em roupas, formas e cores, e ele faz isso de uma maneira tão lindamente pura. É simples, mas grita! E é isso que eu amo em trabalhar com ele. Ele apenas abre sua mente para diferentes maneiras de ver a moda. E é isso que há de tão bom em alta costura – pode ser a versão mais finalizada de algo, mas também é essa oportunidade de ser realmente criativo. Eu queria espelhar a suavidade e a força da roupa, essa é a sensação que tive naquele dia no set.

Você acabou de entrar no último desfile de alta costura de Jean Paul Gaultier; você pode nos dizer como foi?
Fiquei muito honrada em ser convidado a participar, porque ele não trabalhou apenas com as pessoas com quem trabalhou por toda a sua carreira, mas também transmitiu na rua muito do seu último desfile de alta costura. E acho que isso diz muito sobre quem ele é como designer e como pessoa. Ele se importa tanto com a pessoa que está usando o visual e trazendo algo neles.

Você escreveu no Instagram que ele foi o primeiro designer em Paris a escalar você.
Ele foi o primeiro estilista que me deixou andar em uma passarela em Paris, foi em seu último desfile pronto para vestir. Na época em que ainda estava começando minha carreira, estava saindo do colegial, ainda tinha meu corpo de voleibol. Era um corpo que eu amava. Eu sabia o quanto eu trabalhava para ter esses músculos, para me curvar nesses lugares – eu meio que sinto falta agora. Na época, as pessoas eram duras comigo e tentavam dizer que eu não tinha um corpo de passarela

Então, para Jean Paul me ter em seu último show pronto para vestir em 2015 – não apenas para me ter, mas também para me colocar em uma roupa que não cobria muito como, ainda havia estilistas ou designers naquela época, que estavam me colocando em seus shows, mas me colocando algo que realmente cobria meu corpo. E assim, para ele me fazer sentir que ele queria que eu brilhasse dessa maneira, realmente significou muito para mim como uma jovem modelo. E eu sei que ele fez isso para muitas pessoas.

Evidentemente, o setor mudou, mesmo que apenas um pouco. Você parece onipresente agora, mas quem você acha que foram os mentores que lhe deram suas primeiras chances?
Obviamente, a primeira pessoa foi minha mãe. E isso não era apenas no setor – ela sempre me permitia ser criativo quando crescia, tinha um impacto tão positivo e sempre me incentivava a me expressar de qualquer maneira, seja cozinhando, desenhando, tentando aprender a costurar ou me deixar usar e quebrar suas câmeras. Mas acho que, à medida que envelheci em minha carreira, diria Carine Roitfeld e Stephen Gan. Eu os chamo de meus padrinhos de fadas da moda. Depois, há o meu gerente Luiz. Tommy Hilfiger me dar quatro temporadas de uma coleção foi uma loucura. Colocar esse tipo de confiança em alguém – isso me deu muita confiança em mim e isso significou muito para mim.

Você menciona Tommy, e parece que você valoriza poder se expressar através de um personagem ao modelar. Você se vê expandindo para um papel diferente na indústria?
Acho que à medida que envelheço…bem, um dia vou começar uma família e não sei se sempre vou modelar. Eu amo o lado criativo da moda, é tão gratificante. As pessoas com quem trabalho me fazem tão feliz, tenho muita sorte de estar perto delas. Mas quem sabe? Talvez eu comece a cozinhar em tempo integral!

O que você cozinha para o jantar para fazer as pessoas felizes?
Isso depende da pessoa. Minha coisa favorita a fazer é dizer: “Qual é a sua comida favorita para comer? Qual é o seu tipo de comida favorito? ” E tentarei fazê-lo, mesmo que nunca o tenha feito antes. Eu amo esse pequeno desafio. Essa é a minha pergunta favorita de perguntar às pessoas, porque revela algo sobre essa pessoa, é o que as faz sentirem calor.

Como você lida com o ritmo da indústria? Como você desliga?
Eu acho que meu espaço pessoal para isso é a fazenda. Eu acho que todo mundo precisa de um lugar, ou um espaço ou um momento para si, onde possa fazer o que ama e encontrar o que quer. Para mim, essa é a fazenda, e se está fazendo um pouco de pintura a óleo pela manhã e depois fazendo um quebra-cabeça à tarde…não sei, são coisas aleatórias. Neste verão, comecei a fazer arte com resina e comecei a secar flores e a fazer caixas de resina de flores secas e coisas assim. Eu acho que é tão importante aprender coisas novas o tempo todo e até mesmo experimentar e se falhar, tudo bem, e isso faz parte. Todas essas pequenas coisas realmente ajudam quando eu volto para um trabalho criativo ou um ambiente criativo.

A distância da fazenda a Nova York ajuda?
Com certeza, e acho que a estranheza e a maravilha disso vêm também por estar em isolamento. Na maioria das vezes, terei amigos e familiares na fazenda, mas há muitos dias em que estou sozinha, e sento em minha casinha em silêncio e apenas faço essas pequenas coisas sozinha. Eu acho que isso também me dá energia e amor pelo que faço. Recarrega minhas baterias.

O que você faria, além de dormir, se tivesse uma noite de folga na semana de moda?
Digamos que estamos em uma Paris ou Milão; a hora em que realmente vejo amigos é no final do dia, em uma grande mesa em um restaurante. Quero dizer, geralmente não há uma pessoa específica, especialmente porque todo mundo tem horários tão ocupados e loucos. Eu gosto de reservar apenas uma mesa grande em um restaurante. Uma boa conversa é algo memorável para a semana da moda. Quero ver todos tendo uma noite feliz, onde se sentem em casa e aquecidos por dentro. Essas são as minhas noites favoritas.

O que você sente apaixonadamente fora da moda?
Trabalho com a UNICEF há alguns anos. Comecei a conversar com eles, dizendo que queria dedicar meu tempo e minha plataforma e senti que tinha a permissão deles. Que eu tinha algo para contribuir. Eu apenas senti que era minha responsabilidade. Então, eu fui ao Bangladesh, fui visitar aldeias e abrigos para mulheres, e isso faz você se concentrar em coisas diferentes. Seja a educação, o saneamento, o empoderamento das mulheres ou o que elas estão fazendo na comunidade para educar as pessoas e ajudá-las a ampliar suas próprias habilidades.

O que faz você mais feliz do mundo?
O que me faz feliz é criar com e para outras pessoas. Aqueles momentos realmente especiais no trabalho em que você fica tipo “Uau, foi por isso que fiz esse trabalho”. Eu acho que é o mesmo sentimento que sinto quando estou sentada com os amigos, pintando ou fazendo as pessoas que amo jantar. Eu acho que apenas fazer algo para outras pessoas e fazer outras pessoas felizes. É muito divertido e tento criar pequenos momentos como esse na minha vida o tempo todo.

1581940530603-id5_srgb.jpg1581940684025-id7_srgb.jpg1581940772988-id8_srgb.jpg1581940799535-id1_srgb.jpg1581940838970-id3_srgb.jpg

Tradução & adaptação: Equipe Gigi Hadid Brasil