15.02.23
Gigi Hadid estampa a capa da Elle US na edição Março 2023
Publicado por Brenda

Sendo a sua segunda capa do ano e do mês de Março Gigi Hadid está estampando a capa da Elle US em três versões diferentes com a modelo posando para as lentes do Mario Sorrenti em um único cenário com Hadid em uma cama de lençóis brancos usando roupas da sua própria marca, a Guest In Residence sendo elas um vestido longo e um conjunto azul de um tipo de biquíni e luvas e também outras grifes como Ralph Lauren, Isabel Marant, Hermès, Fendi e muito mais. Além do photoshoot incrível Hadid concedeu uma entrevista onde ela falou sobre lançar Guest In Residence, Next In Fashion, sobre estabelecer limites em sua vida em relação a fama e muito mais. Confira a entrevista completa e traduzida abaixo:

E se houvesse uma Gigi Hadid diferente, uma alternativa? Onde esta desviou para a direita, assinando com a IMG ainda na Malibu High, depois fechando desfiles de moda e liderando campanhas publicitárias, a outra pode ter virado para a esquerda. “Eu poderia ter jogado vôlei na faculdade e sido treinadora”, diz ela. Ou o amor de uma vida inteira pela arte poderia ter se transformado em uma carreira em parques temáticos: “Tenho a fantasia de trabalhar para a Disney Imagineering”. O que teria permanecido da mesma forma? Ela ainda seria obcecada por documentários. Ela teria a mesma intensa ética de trabalho, lado brincalhão, profundo amor pela família e desejo de aprender. As qualidades que se evidenciam na nossa conversa íntima, aquelas que são as mais amadas por quem a conhece. Sério, não é aí que está a verdadeira Gigi?

Este ano deu a Hadid a chance de encontrar maneiras de trabalhar que a ajudem a se sentir completa, e a capacidade de mostrar ao mundo elementos dela mesma que não apareceram nas fotos. No outono passado, Hadid, de 27 anos, lançou a Guest In Residence, uma linha de clássicos da caxemira com uma mistura, construída em torno da ideia de que os itens básicos que devem ser guardados e usados ​​por anos são inerentemente sustentáveis. O negócio permite que ela desenvolva o que aprendeu colaborando com lendas do design e mentores como Tommy Hilfiger e Donatella Versace (uma taurina, ela observa). Também oferece a ela uma rotina e consistência, algo que ela não tinha antes, mas percebeu que precisava. A quarentena e o nascimento de sua filha Khai, agora com dois anos, deram a ela tempo para considerar seriamente como uma redefinição de carreira poderia melhorar sua vida. “Fiquei grávida e comecei a pensar muito no que eu queria depois, quando o mundo se abrisse novamente. Ele continuou voltando apenas para uma programação mais estabilizada, onde não estou em um país diferente a cada semana. Isso é muito estabilizador. Eu tenho um escritório para vir. Conheço todos aqui. Não preciso ter uma determinada aparência para aparecer. É uma experiência diferente para mim e era o momento certo porque eu estava pronta para isso”, diz ela, sentada em seu escritório no centro de Manhattan, vestindo uma blusa solta de Guest In Residence com jeans e botas Ugg. Um dia antes, ela estava vestida com um top de lantejoulas, posicionada em uma viga de construção no alto de Manhattan em uma sessão de fotos para a Maybelline.

“Sempre adorei estar em ambientes de grupo criativos”, diz ela. Ela aponta para uma mesa longa e alta e explica que pediu especificamente esse estilo em seu escritório, “Porque queria que parecesse minhas mesas de aula de arte do ensino médio”. Ela mora perto e visita mesmo sem reuniões marcadas. O resto de sua equipe vai dizer para ela dar o fora, ela brinca.

A Guest In Residence consiste em um conjunto de peças centrais que ficam ao lado de coleções sazonais. A linha inclui calças, roupas de segunda pele, juntamente com cardigãs e casacos, e ecoa o próprio estilo descontraído de Hadid. “Todas elas tem um senso de simplicidade que eu quero sempre poder misturar com os estilos de vida, estilos e personalidades de diferentes pessoas de diferentes idades. Acho que o que todas essas pessoas teriam em comum é o desejo de se expressar. Acho e espero que pessoas diferentes possam se encontrar em peças diferentes”, diz ela.

Como fundadora e diretora criativa, Hadid considera a Versace um modelo a ser seguido por sua capacidade de ser “Uma chefe sem ser rude, nunca”. Por sua vez, Versace liga para sua família. “Ela tem uma presença incrível como mulher, uma força interior que brilha dentro dela”, diz ela. “Ela também é uma das mulheres mais gentis que conheço, e a família é tão importante para ela, como é para mim.” Hilfiger, que trabalhou com Hadid em uma série de coleções Tommy x Gigi, tem elogios semelhantes: “Ao longo de sua carreira, ela teve tantas conquistas fantásticas, mas é sua personalidade gentil e pé no chão que a fizeram se destacar do resto”. Ele acrescenta que não está surpreso em vê-la liderando sua própria marca.

Em 3 de março, Hadid começará sua primeira experiência estendida em frente às câmeras quando se juntar à segunda temporada do Next in Fashion, que ela apresentará ao lado de Tan France. Ela é uma completista de competição de reality, ela assistiu de tudo, de Blown Away a Lego Masters, e ela ganhou uma edição de celebridades do MasterChef, e o France é um amigo, então “Pareceu um lugar seguro para eu me aventurar”, diz ela . “Mas a Netflix não foi fácil para mim. Eles realmente me colocaram em um processo de audição. Respeitei isso e me senti bem quando consegui o emprego. Eu senti como se tivesse merecido aos olhos deles, e isso me deu confiança para ir em frente. Você tem uma sensação de síndrome do impostor e pensa: ‘Ok, eles só estão me dando esse programa porque tenho muitos seguidores?’ O fato de eles realmente questionarem minhas intenções de estar no programa me ajudou a entrar nisso de cabeça. Se eles acham que eu posso fazer, então isso me dá mais confiança do que eu teria de outra forma.” O programa também ajudou a revelar traços aparentemente ocultos em Hadid: “As pessoas dizem que sou engraçada. Não sei, mas acho que quanto mais tempo me dão, mais posso me soltar.”

Depois de quase uma década aos olhos do público, Hadid ainda está navegando na maneira como o mundo a percebe. Ao compartilhar trechos de sua vida, ela criou seguidores online, atualmente com 76,8 milhões no Instagram que, sem dúvida, ajudaram a garantir seu lugar na moda. Mas esse sucesso também levou a uma fama descomunal que a tornou alvo de paparazzi e fofocas. Sua experiência dividindo a guarda com Zayn Malik, seu ex-parceiro e pai de Khai, foi mostrada pelo prisma da mídia e do Instagram. Conseguir o difícil equilíbrio entre discrição e divulgação que a fama exige é uma questão de tentativa e erro que ela vem ajustando há quase uma década. “Tive experiências iniciais em que você aprende como o mundo reage quando você compartilha as coisas de certas maneiras. Às vezes, você deixa algo com a sensação de que foi tirado do contexto. Ou parece que você revelou demais e foi aproveitada. Quaisquer que sejam essas experiências de aprendizado da maneira mais difícil, você acaba desenvolvendo uma defesa”, diz ela.

Ela chegou a um grau de compreensão de que sua vida gera manchetes. O que a ajuda a passar pelo escrutínio e pelas críticas é “Perceber que nada realmente importa. Serena Williams uma vez me disse: ‘Nada fica na imprensa por mais de três semanas.’ Acho que é sobre não se levar tão a sério e pensar: ‘Quando eu estiver no meu leito de morte, não vou me lembrar daquela entrevista estranha de quando eu tinha 19 anos’.” Então, eu pergunto a ela, o que você não saberia sobre ela pelas manchetes ou postagens nas redes sociais? Ela faz uma pausa e, inesperadamente, seus olhos se enchem de lágrimas.

“O que o mundo não sabe sobre mim? Não sei. Estou ficando emocionada [pensando nisso]. Eu acho que sou alguém que você tem que estar na frente para conhecer. Não é díficil. Isso não é uma reclamação. É mais que no meu trabalho, você vê muitos momentos instantâneos”, diz ela. Ela enxuga as lágrimas e gentilmente aceita minhas desculpas por provocá-las. “Não, está tudo bem. Aparentemente, eu precisava dizer isso. Há muitos momentos instantâneos e momentos realmente rápidos onde, novamente, não há muito contexto dado.” Ela acrescenta que vê seu programa Next in Fashion como uma chance de se abrir de forma gradual e mostrar mais de si mesma do que aparece nas fotos dos paparazzi. Pela primeira vez em sua carreira, ela diz: “Fui ao mesmo estúdio por um mês, com a mesma equipe de 100 pessoas. Você realmente sente aquele senso de comunidade que eu acho que estou desejando, e isso realmente traz uma [sensação de conforto] e o tempo e espaço para se mostrar.”

A terapia ajudou Hadid e sua irmã, Bella, a lidar com experiências modelando e em seus passados que elas podem não entender da mesma maneira: “Existem coisas diferentes com as quais provavelmente lidamos em lados diferentes, mas sempre há algo que vem junto.” Hadid aprendeu que pode definir padrões de como espera ser tratada. “Estabelecer limites, mesmo que seja com os paparazzi – passando por cima e dizendo: ‘Ei, tudo bem? Sei que nos vemos do outro lado da rua há cinco anos, mas quando estou com minha filha, por favor, não aponte a câmera para cá.’ Às vezes você tem que ser firme, e isso não significa ser rude. É estabelecer um limite.”

Ela também tem limites físicos, e sua saúde exige que ela seja clara sobre eles. Em 2016, Hadid falou sobre ter a doença de Hashimoto, um distúrbio autoimune que afeta a tireoide, causando fadiga e problemas para regular a temperatura corporal, e ela teve que abrir espaço em sua jornada de trabalho para administrá-la. “Normalmente, tiro uma soneca durante o intervalo do almoço e almoço quando retoco o cabelo e a maquiagem depois. É apenas algo com o qual tive que lidar ao longo dos anos. Às vezes é melhor do que outras”, diz ela. “Quando é uma filmagem muito fria, leva muito tempo para meu corpo se recuperar em termos de temperatura e isso pode me deixar trêmula.” Ensaios fotográficos no calor também podem prejudicá-la. “Um dos limites que tenho é que tenho que dizer para a minha equipe quando preciso descansar. Eles sempre entenderam e encorajaram isso e, além disso, acho que acabei de aprender a fazer isso funcionar para mim, o que me ajuda a passar o dia e fazer o meu melhor.”

É sua filha Khai quem pode ver Hadid de todos os ângulos, ela insiste. “Ela obviamente me vê em todos os estados e maneiras, e quer ela saiba disso ou não, estou passando e aprendendo com ela ao longo da vida. Eu acho que ela tem uma visão realmente realista de 24 horas por dia, 7 dias por semana. Estamos conversando no meio da noite se ela estiver acordada; estamos falando, não sei, coisas aleatórias, mas é divertido”, diz ela. “Ter uma filha, embora tenha mudado minha vida para me fazer realmente querer me sentir mais estável, me fez apreciar o caos também. Estar em desfiles e sessões de fotos e apenas estar na cidade novamente; estar perto de amigos [depois] de me tornar mãe, com todos também saindo do COVID, eu aprecio os dois lados disso.”

Uma última pergunta antes de voar para Paris: O que ela ainda quer aprender? Ela não hesita. “Tudo.” Seu rosto se enche de luz.

elm030123wlgigi-005a-1676064043.jpgelm030123wlgigi-009-1a-1676064124.jpgelm030123wlcover-002b-1676320998.jpgelm030123wlgigi-001a-1676301594.jpg

Tradução & Adaptação: Gigi Hadid Brasil