04.09.23
Gigi Hadid estampa a capa da Porter Magazine e fala sobre aprender a ser mais assertiva, as alegrias da maternidade e muito mais.
Publicado por Brenda

Gigi Hadid depois de alguns meses sem aparecer em um novo photoshoot finalmente está estampando a capa digital da Porter Magazine onde ela foi fotografada em estúdio em fundo predominante branco pelas lentes do fotógrafo Yulia Gorbachenke com seus cabelos naturais usando peças da mais nova coleção de Outono 2023 da sua marca Guest In Residence. Além de uma sessão de fotos lindíssima Hadid também concedeu uma entrevista incrível que ela explica por que ela finalmente sente que se tornou independente, sobre aprender a ser mais assertiva, as alegrias da maternidade, suas crescentes ambições em Hollywood e por que ela está definitivamente disponível para uma sequência de Barbie. Leia a entrevista completa e traduzida abaixo: 

Existem dois lados em Gigi Hadid – pelo menos no que diz respeito ao seu guarda-roupa. Há o glamour de alto poder que vemos a modelo em intermináveis ​​​​tapetes vermelhos, e depois há seu próprio estilo pessoal, que é completamente reduzido em comparação. Afinal, Hadid é uma garota da Califórnia de coração, além de mãe de sua filha de três anos, Khai. Conforto é fundamental.

Esta é uma regra que Hadid aplicou em sua última mudança de carreira – seu ‘bebê’ dos negócios – como diretora criativa da marca caleidoscópica de malhas de caxemira, Guest In Residence. “Quando eu faço o design, não me considero apenas uma figura pública chamativa que todo mundo vê, porque não é isso que sou na maioria das vezes”, diz ela. “Pego emprestadas muitas dessas coisas glamorosas e incríveis que visto; Raramente consigo mantê-las. O que é o meu guarda-roupa e por que comecei uma empresa como esta é o que conheço bem e adoro: trata-se de básicos clássicos – e de torná-los divertidos.”

Antes que nossas apresentações acabem, estamos ambos maravilhados em descobrir que estamos combinando em tons igualmente vibrantes – Hadid é uma autoproclamada amante das cores. Hoje, ela vestiu uma malha ensolarada em tom ‘Daisy’ da coleção de verão da Guest In Residence, enquanto eu vesti uma camisa de botão rosa. À frente de sua própria marca de moda (que conta com uma equipe pequena, mas poderosa, de veteranos do setor, como Sijeo Kim e a estilista Gabriella Karefa-Johnson), Hadid está adquirindo conhecimento nos detalhes básicos da produção de moda. Estar no comando ainda parece “Surreal”, diz ela. “Eu ainda tenho que agir conscientemente, tipo, ‘Ok, você precisa ser uma chefe quando entrar nesta sala.’” E, como chefe, ela aprendeu a afirmar sua visão, ao mesmo tempo em que permanece colaborativa.

“Acho que aprendi muito sobre mim mesma em termos de que posso ser uma people pleaser, considera ela. “Aprendi muito sobre ser assertiva, o que não faz de você uma vadia. Desde que você faça o que vem naturalmente e não seja rude, você pode dizer como se sente – e às vezes você tem que fazer isso para fazer as coisas a tempo.”

Ela se orgulha de ser confiável, preciosa, mas ainda assim brincalhona. É uma variedade de formatos exclusivos nos quais os clientes podem confiar como pilares do guarda-roupa e reabastecê-los a cada ano. Na sua base está a coleção principal de joggers, moletons, regatas, lenços, gorros e até boxers, todos repletos de tons exuberantes como rosa chiclete ou verde esmeralda, e preparados para a vida suave.

Hadid dominou a passarela desde que assinou com a IMG em 2013, quando ainda era estudante do Malibu High. Alguém que sempre acreditou que ela seria uma empresária nata foi seu amigo, o falecido Virgil Abloh, da Louis Vuitton, que faleceu em 2021 devido a uma batalha privada contra o câncer. Ela imediatamente menciona o nome do visionário quando pergunto quem, profissionalmente, ela mais admirou. Hadid apreciou profundamente a capacidade de Abloh de ser inspirado por alguém ou qualquer coisa. “Penso muito nele neste trabalho da Guest in Residence”, ela reflete. “Ele foi alguém que realmente me encorajou – e me fez sentir mais confiante de que era capaz de ser uma diretora criativa.”

Peças com potencial de herança estão no coração da marca. Um exemplo é o seu favorito da coleção mais recente: um suéter de vovô lindamente trançado em vermelho cereja que parece a mais rara das peças de arquivo retiradas do fundo do armário de um membro da família. “É algo sobre o qual falamos muito no escritório. Eu quero que seja como se você abrisse o armário do seu avô e encontrasse a melhor, mais legal e mais atemporal coisa e você fica tipo, ‘O quê?! Vovô?!’ Porque é isso que eu quero na minha família: que essas coisas continuem vivas.”

Ela também quer construir um relacionamento de longo prazo com seu cliente (“Vou fechar os olhos e pensar em alguém vestindo um suéter, pensando neles amarrando-o de uma maneira diferente. Se estiverem no aeroporto, eles podem dobrar isso e colocar em uma bolsa?”). Mas para que você não se preocupe com o fato de Guest in Residence ser outra marca de celebridade feita às pressas que satura o mercado, saiba que a modelo que virou diretora criativa passou três anos em desenvolvimento antes de lançar a linha no ano passado. Ela aplicou a educação que obteve em quase uma década trabalhando nas principais passarelas de gigantes da moda, liderando campanhas para empresas como Versace e Givenchy, como uma das modelos mais eminentes e mais bem pagas, e co-host do concurso de design Next In Fashion.

Esse tipo de exposição tornou Hadid uma adepta da construção, do ajuste e dos tecidos, tendo passado a maior parte de sua carreira entrando e saindo da alta-costura. “Provavelmente já usei quase todo tipo de roupa que você poderia usar, e as mais bizarras também, como fechos, detalhes e trabalhos técnicos mais malucos”, explica ela. Minha mente imediatamente vai para a jaqueta acolchoada Versace até o chão e o macacão de látex combinando que ela vestiu em 2022 para o Met Gala. Suas proporções descomunais tomaram conta dos degraus do Met. Está muito longe de ser uma gola redonda – e esse tipo de intimidade com roupas tão técnicas a tornou sensível aos luxos simples do dia a dia. “Acho que entendo o que funciona para as pessoas em suas vidas e o que elas desejam. E isso começa com essas coisas de alta costura estranhas e malucas que uso”, ela diz rindo.

Apesar do sucesso de sua marca, o primeiro amor de Hadid pela modelagem nunca vacilou. Mas ela é muito mais intencional em relação aos empregos que assume agora. “Acho que quando você é mãe, você tem que ser intencional porque, agora, eu literalmente tenho metade do tempo. Eu trabalho quando minha filha está com o pai, e esse é o tempo que tenho. E os trabalhos que escolho preencher esse tempo têm que ser aqueles que me satisfaçam. Eu literalmente vou me encaixar no máximo de trabalhos quanto puder nesses dias. Às vezes sou uma pessoa maluca, mas se isso significa muito para mim, então eu faço.”

“Eu já vi tantas fotos minhas. Não há necessidade de fazer um editorial se sinto que é uma perda de tempo de todos”, continua ela. “Quero fazer coisas que sejam novas e emocionantes de onde todos vão sair se sentindo realizados e que fizeram algo divertido naquele dia.” Isso pode envolver fotografar ela mesma em uma sessão fotográfica, uma paixão que ela vem tentando retomar desde que deu à luz no meio da pandemia de Covid.

Ex-garota do teatro, Hadid também tem aspirações longe do mundo da moda. “Se e quando o roteiro certo aparecer, eu ainda gostaria de fazer um filme um dia”, ela conta. “Tive aulas de atuação por alguns anos em Nova York. Mas muitos roteiros que recebi ao longo dos anos são apenas os papéis mais óbvios para eu interpretar. É o que é, mas só fiz testes para aqueles que não achei óbvios.” (Ela, no entanto, teria ficado emocionada com um papel em Barbie de Greta Gerwig, se isso tivesse acontecido, “Eu adoraria ser até mesmo uma personagem de fundo!”)

Agora que sua filha está envelhecendo, Hadid está encontrando tempo para reacender velhos hobbies e adotar novos. Ela está construindo um ateliê de cerâmica em casa e começou a fazer crochê a pedido da filha. Recentemente, ela passou seis horas em um vôo para Los Angeles, costurando um unicórnio que Hadid me garante ser feio, mas que Khai adora. “É apenas uma bola com chifre e olhos. Isto é hilário.”

Talvez o brinquedo fofinho de Khai possa ser um test drive para uma coleção de crochê na próxima temporada, sugiro? Eles definitivamente consideraram a ideia, ela responde. “Ah, também temos uma coleção infantil em breve!”

“Khai e sua melhor amiga são nossas modelos adequadas. Elas entram no escritório, Khai experimenta um vestido e então ela diz: ‘Você quer ir à loja de donuts?’”

Hadid, porém, encontrou sua zona de conforto no estúdio, gostando de entrar nas complexidades do processo. “Colocamos todas as amostras de cores no chão em fileiras e eu simplesmente fico quieta e começo a juntar pequenos grupos, e todos estão tentando olhar por cima do meu ombro. Eu amo isso.” Sua criação é uma coleção repleta de peças com potencial de herança, repletas de cores inesperadas que reimaginam as possibilidades da caxemira e das malhas. “Algo que eu realmente adoro é pegar conceitos que obviamente não são de caxemira e fazê-los em caxemira.” Houve até conversa sobre uma calcinha fio dental em determinado momento, mas Hadid riu que isso foi deixado de lado: “Algumas coisas realmente não funcionam”.

1000155688.jpg1000155693.jpg1000155694.jpg1000155692.jpg

Tradução & Adaptação: Gigi Hadid Brasil